sexta-feira, 27 de maio de 2011

O COMPUTADOR NA SOCIEDADE DO CONHECIMENTO

O COMPUTADOR NA SOCIEDADE DO CONHECIMENTO
BERNARDO EDBERG RIBEIRO PEREIRA
DANIELA l EITE CARDOSO
EDIVAN GOMES DOS REIS
JAMES MATOS DA COSTA
JAQUELINE BARROS
NAIR CORDEIRO



Com o avanço da tecnologia nas últimas décadas, principalmente dos computadores, discuti-se cada vez mais a utilização de recursos da informática na educação. Muitas escolas do Brasil já possuem um laboratório de informática com acesso à Internet, softwares educacionais e programas básicos. Em primeiro lugar, temos que partir do princípio de que o computador é apenas uma ferramenta. Sozinho, não é capaz de trazer avanços educacionais. Uma escola que resolve utilizá-lo como recurso didático necessita de bons professores, preparados e treinados, para utilizar os recursos oferecidos por este sistema tecnológico de forma significativa.
Colocar qualquer software para os alunos usarem não gera aprendizado. É importante que a escola tenha um projeto pedagógico que envolva a utilização do computador e seus recursos. O aluno não pode ser um mero digitador, mas sim, ser estimulado a produzir conhecimentos com o uso do computador. Neste sentido, o professor deve agir como um orientador do projeto que está sendo desenvolvido.
O importante ao utilizarmos recursos de informática na sala de aula, é não transformar a máquina na principal figura educacional. Professores e alunos devem assumir o papel de principais personagens e usar criatividade, raciocínio e atitudes ativas para a produção do conhecimento. Somente desta forma, o aluno estará se preparando para o mercado de trabalho e para a vida.
Mudança é uma palavra de ordem na sociedade atual, no mundo tecnológico, social, nas politicas, na educação, etc. O Indivíduo provoca mudanças na sociedade, e a sociedade provoca mudanças no comércio, assim também como provoca mudanças na educação, e a educação provoca mudanças na produção. Exigindo assim mais qualificação do trabalhador, onde o profissional da sociedade ‘enxuta’ deverá ser um indivíduo crítico, criativo, com capacidade de pensar, de aprender a aprender, de trabalhar em grupo, de utilizar os meios automáticos de produção e disseminação da informação e de conhecer o seu potencial cognitivo, afetivo e social.
Taxonomia refere-se à classificação das coisas, e aos princípios subjacentes da classificação. Quase todos os objetos animados, inanimados, lugares e eventos podem ser classificados de acordo com algum esquema taxonômico. De acordo com o texto, os conteúdos e as práticas educacionais seguem a tendência da era informatizada.
Para os primeiros sistemas, utilizaram como base a “instrução programada”, na qual, seguia uma metodologia instrucionista tradicional de ensino, tais como, exercícios que estimulem a memorização. No entanto, essa tendência foi mudando para uma tendência mais “construcionista”, onde a “liberdade” de iniciativa e controle do estudante no ambiente computacional é valorizada e o aprendizado é uma construção pessoal.
No ensino assistido ou auxiliado por computador, o computador é visto como uma ferramenta poderosa de armazenamento, representação e transmissão da informação, que foi evoluindo até os dias atuais.
Os Ambientes Interativos de Aprendizagem são diferentes dos demais, pois, o aprendizado é entendido como a construção individual do conhecimento a partir de atividades de exploração, investigação e descoberta, ou seja, é uma construção e não uma instrução. Outra característica da visão do computador como ferramenta é o ambiente aberto, onde o aprendiz é livre para propor e resolver qualquer projeto que tenha interesse, mostrando vários tipos de ambientes de aprendizagem, onde o uso da Internet seria o ponto mais avançado da aplicação das novas tecnologias para fins educativos nos dias atuais.
A aprendizagem pode ocorrer de duas maneiras: a informação é memorizada ou é processada pelos esquemas mentais e esse processo acaba enriquecendo esses esquemas, nesse último o conhecimento é construído.
Supõe-se que um novo conhecimento deve estar relacionado com o que já se conhece, ou seja, aprender significa enriquecer essas estruturas por meio da adição de novos conhecimentos ou da organização, sendo assim, o computador pode ser um importante recurso para promover a passagem de informação ou facilitar o conhecimento através da interação aluno – software.
Cada um dos diferentes softwares usados na educação apresenta características que podem favorecer, de maneira mais explícita, o processo de construção do conhecimento, devendo ser analisado qual é o melhor a ser usado em cada situação educacional, o que se torna um exercício interessante e nos ajuda a entender o papel do computador e como ele pode ser efetivo no processo de construção do conhecimento.
A análise dos softwares procura enfatizar a compreensão, porque permite ao aluno se preparar para a sociedade do conhecimento, além de outra razão para enfatizar a compreensão relacionada com o aspecto afetivo.
A elaboração do projeto pedagógico feita em parceria entre alunos e professores dede ser entendida como uma organização aberta, que articula informações conhecidas, baseadas em experiências do passado e do presente, com antecipações de outros aspectos que surgirão durante a execução. Essas antecipações representam algumas certezas e dúvidas sobre conceitos e estratégias envolvidas no projeto. No momento em que o projeto é colocado em ação, evidenciam-se questões, por meio do feedback, comparações, reflexões e de novas relações que fazem emergir das certezas novas dúvidas e das dúvidas algumas certezas.
A elaboração e a execução de um determinado projeto de atividade exige um planejamento educacional com características que indicam o ponto fundamental do projeto. O desenvolvimento de uma prática reflexiva que permite ao individuo dar significado as coisas, interpretar, nomear e identificar sua própria relação com elas.
A formação de professores na área de informática na educação vem acontecendo desde alguns anos atrás, quando foram iniciadas as primeiras experiências de uso do computador nessa área. Essa formação tem sido baseada em diversas abordagens que foram utilizadas ao longo desses anos e que apresentam características distintas, ditadas pela necessidade de formação de profissionais qualificados, pelas limitações técnicas e financeiras, pelo nível de conhecimento que os pesquisadores dispõem e pelo interesse desses pesquisadores em elaborar e estudar novas metodologias de formação. A primeira abordagem pode ser caracterizada como mentorial e foi utilizada durante o início do projeto. Uma segunda foi elaborada para atender à demanda da disseminação da informática nos Centros de Informática na Educação. Uma terceira abordagem pode ser caracterizada como a formação de professores que acontece nas escolas onde atuam, porém, uma formação totalmente presencial.
Essas abordagens ainda hoje são utilizadas e podem conviver em um mesmo centro de formação, dependendo do tipo de demanda, das condições econômicas, da infraestrutura e da disponibilidade de tempo dos professores formadores e dos professores em formação. No entanto, essas diferentes características acabam determinando o enfoque psicopedagógico dessas abordagens. Uma pode enfatizar mais a transmissão de informação e outras, a construção do conhecimento.



POLLYANE  DE SOUSA SANTOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário